25/05/06

4 comentários:

nnannarella disse...

Fiquei imenso tempo a olhar para a cadeira, com pena de não a ter, cometendo a indecência do apego.

A. disse...

BAILARINA AL NORTE
I
Fondo negro.Pas seul de unas piernas que se destacan en blanco.
II
Cortina azul.
III
Fondo negro.Gran hoguera en mitad del escenario.

.............................
Cometo a indecência
do ego.

A. disse...

...e eu recebi maravilhosamente.

César,tens sido uma querida companhia.no meio das nossas dores.no meio da vida realmente vivida por fora disto tudo...entendo que tenho encontrado sempre por lá as palavras e as mãos que mais gosto de abraçar...não corro atrás de nada,nunca fui assim...mas tratarei sempre com todo a minha atenção e cuidado a rara beleza dos sorrisos e das palavras sinceras.

sim,estou cansada,exausta de tudo o que me vai transformando,de tudo o que faz perder a vontade de acreditar.
Aos poucos começo a cometer
...a idecência do desapego.

Beijos tantos.
meu querido C.

A. disse...

...esta
já doi há muito tempo.e não passa.a dor.

um grande beijo de bom dia
meu querido César...
senti que já me faltavas por lá.